sexta-feira, 26 de setembro de 2008

sábado, 20 de setembro de 2008

Utilidade II

"Afirmam alguns que surge primeiro a Religião, em uma relação de sentimentos contemplativos pela natureza. Para se explicar os pensamentos gerados e a ausência de resposta consciente do meio circundante, surge a Filosofia explicando os paradoxos. Na tentativa de dominar os processos pela reprodução, vemos surgir o que se chama 'Ciência'. Estas três vertentes juntas, diluídas e ainda diáfanas vão sugerir e definir a identidade dos seres, dos grupos, das comunidades, das nações.
Mas é a Arte que a frente, vai emprestar a manifestação humana a plasticidade e recursos das suas linguagens para que ela em humanidade, possa interpretar e reproduzir a realidade e então definir e expressar o que chamamos identidade. Por isso a Arte tem o seu pé atado a Cultura, e lá não está atada de igual maneira a Filosofia, a Ciência ou a Religião. Não de igual maneira. Por isso a arte pelo encanto das suas utilidades se faz
incompreendida."

Arte e Direito


"Eu por uma feliz coincidência tive o direito a arte. Direito a arte é ter o direito de entrar em sintonia com 'toda a humanidade'. Direito que só se dá através da arte. O direito de ser humano, demasiado humano".

Friedric Wilhem Nietsche in "Obras Incompletas".

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Para Refletir


“Como sobreviver ao murchar de um sentimento que não murcha?”
Inês Pedrosa - Escritora Portuguesa


CONHEÇA:
http://pt.wikipedia.org/wiki/In%C3%AAs_Pedrosa

sábado, 6 de setembro de 2008

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Utilidade I

“Entre as coisas que emprestam ao artifício humano a estabilidade sem a qual ele jamais poderia ser um lugar seguro para os homens, há uma quantidade de objetos estritamente sem utilidade e que, além disso, por serem únicos, não são intercambiáveis, assim sendo, não são passíveis de igualação através de um denominador comum como o dinheiro; se expostos ao mercado de trocas, só podem ser apreçados arbitrariamente. Além disso, o devido relacionamento do homem com uma obra de arte não é “usá-la”, pelo contrário, ela deve ser cuidadosamente isolada de todo o contexto dos objetos de uso comuns para que possa galgar ao seu lugar devido no mundo … a arte assim sobreviveu magnificamente à sua separação da religião, da magia e do mito”.

Hannah Arendt, em seu livro A Condição Humana, no capitulo “A permanência do Mundo e a Obra de Arte”.

http://www.culturaemercado.com.br/post/cultura-e-pensamento-10-os-equivocos-que-envolvem-a-arte-e-o-ensino/#more-3819

Projeto de Nação


"O governo conseguiu a incorporação na economia de quase 30 milhões de brasileiros que migraram para a classe C, aumentaram seu poder aquisitivo. Mas não basta mudar o poder aquisitivo. Um projeto de nação, de um novo ciclo de desenvolvimento no Brasil tem de associar essa redução da desigualdade e o aumento do poder aquisitivo à educação e à cultura. A educação já está consolidada como um universo compreendido pela sociedade como tal. A cultura está começando agora, e vai ter de ter em algum momento responsabilização do Estado através da dotação orçamentária. Isso é inevitável”.

Juca Ferreira, Ministro da Cultura.

http://www.culturaemercado.com.br/post/juca-ferreira-pretende-criar-vale-cultura/#more-4528